quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Oração do gato (Carmen Bernos de Gasztold - 1919)


Senhor,
eu sou o Gato.
Não, precisamente,
que tenha alguma coisa a lhe pedir.
Não peço nada a ninguém.
Mas se por acaso o Senhor tivesse
aí nos celeiros do Paraíso
um ratinho branco
ou um pires de leite...
Sei de alguém que aprecia essas coisas.
O senhor vai amaldiçoar, um dia,
a raça canina?
Ah, nesse caso, eu diria:
                          Amém.

* Poema traduzido por Carlos Drummond de Andrade, cuja tradução consta da obra "Poesia Traduzida", editada em 2011 pela Cosac Naify

6 comentários:

  1. Fofíssima essa oração! Eu "mio" junto contigo...

    ResponderExcluir
  2. Só mesmo um Drummond para traduzir poesia! Incrível isso! Gostei.
    Deve ser fofo mesmo!

    ResponderExcluir
  3. E tem cada poema lindo traduzido por ele... Estou encantada com o livro que comprei há pouco. Em alguns casos, ele levava mais de ano para encontrar as palavras perfeitas para o poema traduzido. Gênio mesmo!

    ResponderExcluir
  4. Lindinho, né, Andressa? Embora eu prefira os dogs (risos)...

    ResponderExcluir