segunda-feira, 30 de abril de 2012

Formas de abençoar (Alberto da Cunha Melo - 1942 - 2007)

Fique aqui mesmo, morra antes
de mim, mas não vá para o mundo.
Repito: não vá para o mundo,
que o mundo tem gente, meu filho.

Por mais calado que você
seja, será crucificado.
Por mais sozinho que você
seja, será crucificado.

Há uma mentira por aí
chamada infância, você tem?
Mesmo sem a ter, vai pagar
essa viagem que não fez.

Grande, muito grande é a força
desta noite que vem de longe.
Somos treva, a vida é apenas
puro lampejo do carvão.

No início, todos o perdoam,
esperando que você cresça,
esperando que você cresça
para nunca mais perdoá-lo.
 

Um comentário:

  1. Ah... a vida no início! Essa marca...
    Que belo poema, me provocou!
    bjs.

    ResponderExcluir